A- A+

Nulidade do contrato de aprendiz

“O contrato de aprendiz teve sua finalidade desviada, pois, na verdade, o demandante sempre prestou serviços vinculados à atividade-fim do tomador dos serviços, com pessoalidade e subordinação jurídica, executando tarefas idênticas aquelas prestadas pelos bancários, tais como oferta de contas correntes, venda de produtos do Banco reclamado, importando em sua nulidade, estabelecendo-se o vínculo empregatício diretamente com o empregador responsável pelo cumprimento da cota de aprendizagem.”